Energia Solar

Energia solar no Rio de Janeiro

Sistemas de energia solar prediais têm muitos benefícios, incluindo a redução de emissões de GEE, melhoria na resiliência da rede elétrica, e a redução de dependência da energia produzida centralmente. Foto por marcusrg, licenciada sob creative commons.

O sol fornece uma fonte praticamente inesgotável e limpa de energia, que tem sido usada desde os tempos antigos. Muitas tecnologias de energia solar são bem desenvolvidas, e os custos de capital para instalações solares estão caindo.

O uso da energia solar não é muito difundido no Brasil, apesar das condições climáticas ideais.

O Brasil tem uma das maiores incidências solares do mundo – O Rio de Janeiro recebe uma radiação solar de 1,7 MW/m2 por ano (dados do Meteonorm), com irradiação direta média de 5,18 kWh/m2 por dia [1].

Cada metro quadrado exposto ao sol no Rio recebe energia suficiente para aquecer um chuveiro normal no Brasil por mais de uma hora por dia. Apesar disso, a maioria das casas ainda usa chuveiros elétricos.

Existem muitas aplicações de energia solar tecnicamente possíveis no Rio de Janeiro. Estas incluem:

  • Sistemas solares térmicos de água quente (para lavagem)
  • Sistemas solares fotovoltáicos, que geram energia elétrica
  • Sistemas de energia solar concentrada, que podem gerar energia elétrica ou água quente / vapor
  • Sistemas solares de resfriamento, que utilizam água quente (gerada por um dos métodos acima) para fornecer energia para resfriadores de absorção ou adsorção

Energia Solar no Rio: Recursos desta Ferramenta

Os artigos a seguir fornecem dados técnicos e econômicos sobre as tecnologias solares que são tecnicamente viáveis no Rio de Janeiro.

Energia Solar no Rio: Recursos Externos

Referências

  1. “SWERA | maps.nrel.gov.” [Online]. Disponível em [Acessado em: 28-Sep-2012]