Telhados e Paredes Verdes

Telhados frios podem ser uma maneira viável para melhorar a eficiência energética de edifícios

Telhados e paredes verdes ajudam a reduzir o ganho solar e melhoram a eficiência energética dos edifícios. Foto por Chris Campbell licenciada sob creative commons.

Telhados verdes ou vivos são medidas de refrigeração passiva que evitam que a radiação solar atinja um edifício. Os telhados verdes são parcialmente ou completamente cobertos por vegetação.

Eles têm de uma membrana impermeável e uma camada de plantação onde plantas de espécies apropriadas são cultivadas. Barreiras contra raízes, drenagem e irrigação também podem ser parte do telhado verde.

Paredes e fachadas também podem ser plantadas criando as chamadas paredes verdes, que ajudam  a prevenir o ganho solar através do sombreamento de edifícios . Paredes verdes criam uma tela acústica, ajudando a reduzir a poluiçãosonora.

Mais pesquisas são necessárias para quantificar os benefícios das paredes verdes, embora já existam relatórios de que paredes vivas podem reduzir a carga de resfriamento dos edifícios em até 28% [1].

As plantas em telhados verdes (e paredes verdes) fornecem sombra e reduzem o ganho solar. Elas também reduzem os efeitos das ilhas de calor urbano que ocorrem devido a absorção de calor de materiais de construção tradicionais. Os telhados verdes proporcionam isolamento térmico, o que melhora a eficiência em edifícios com ar condicionado [2]. Eles também reduzem o risco de inundações, agindocomoum tampão das águas pluviais [3], e integram a natureza à vida diária das pessoas.

Economia de Energia

Sistemas de telhados verdes estão se tornando mais comuns em Singapura, onde o clima é semelhante ao do Rio de Janeiro[4]. Pesquisas realizadas em Cingapura demonstraram que os telhados verdes em edifícios comerciais podem reduzir o consumo anual de energia em até 14,5%. O plantio de arbustos, de acordo com a pesquisa, é responsável pela maior economia de energia [5].

Estudos no Rio de Janeiro demonstraram que a temperatura logo abaixo dos telhados verdes é significativamente mais baixa (até 12ºC) do que em telhados com cobertura de concreto. É importante notar que a temperatura mínima inferior do telhado não cai tanto durante a noite já que nos telhados verdes o adubo atua comoum isolante térrmico. [3]. Estes sistemas são, portanto, menos adequados para edifícios e ambientes com ocupação noturna.

A economia de energia através da instalação de telhados verdes tem que ser balanceada com a necessidade de energia adicional para a sua construção. Além disso, os requisitos adicionaiscomo manutenção e irrigação deverão ser considerados – especialmente no que se refere às paredes verdes.

Os sistemas de sombreamento verde oferecem uma alternativa para as paredes verdes e envolvem um crescimento a longo prazo através de uma pérgola ou moldura de arame. Tais sistemas de sombreamento ajudam a reduzir efeitos de ilha de calor urbano  e melhoram o bem-estar dos usuários dos edifícios.

Os telhados verdes devem ser considerados para edifícios no Rio de Janeiro.

Mais Recursos

Os links a seguir fornecem mais informações sobre os telhados e paredes verdes:

Referências

  1. S. Loh, “Living Walls: A Way to Green the Built Environment,” Environment Design Guide, Built Environment Design Professions, 2008. [Online]. Disponível em: http://www.environmentdesignguide.com.au/media/TEC26.pdf [Acessado em: 17-Out-2012].
  2. S. Tanner and K. Scholz-Barth, “Technology Focus: Green Roofs,” Federal Technology Alert, 2004. [Online]. Disponível em: http://www.nrel.gov/applying_technologies/pdfs/femp_fta_green_roofs.pdf [Acessado em: 17-Out-2012].
  3. M. Laar and F. W. Grimme, “Thermal comfort and reduced flood risk through green roofs in the Tropics,” The 23rd Conference on Passive and Low Energy Architecture, Geneva, Switzerland, 2006. [Online]. Disponível em: http://www.unige.ch/cuepe/html/plea2006/Vol2/PLEA2006_PAPER312.pdf [Acessado em: 17-Out-2012].
  4. Cairns Regional Council, “Sustainable Tropical Building Design: Guidelines for Commercial Buildings,” 2011. [Online]. Disponível em: http://www.cairns.qld.gov.au/__data/assets/pdf_file/0003/45642/BuildingDesign.pdf [Acessado em: 17-Out-2012].
  5. N. . Wong, D. K. . Cheong, H. Yan, J. Soh, C. . Ong, and A. Sia, “The effects of rooftop garden on energy consumption of a commercial building in Singapore,” Energy and Buildings, May-2003. [Online]. Disponível em: http://portal.jnu.edu.cn/publish/uploadFile/2970/eWebEditor/20100703062308895.pdf [Acessado em: 17-Out-2012].